Microbiological Seal of Two Types of Tapered Implant Connections - VIP ImplantePerio

Microbiological Seal of Two Types of Tapered Implant Connections

Conexões de implantes cônicos cresceram em popularidade por serem mais resistentes à fadiga e por promover uma melhor vedação contra infiltração bacteriana do que as conexões convencionais. O objetivo deste estudo foi avaliar o selamento bacteriano na interface implante-pilar utilizando dois modelos de implantes cone Morse, por meio de análise microbiológica in vitro. Onze pilares não indexados e 11 pilares indexados foram selecionados e conectados aos seus respectivos implantes com um torque de 20 N, de acordo com a recomendação do fabricante. A análise microbiológica foi realizada utilizando colônias de Escherichia coli retirados diretamente a partir de uma placa de cultura para o componente protético. Para os grupos de controle, foi utilizado um pilar-implante não contaminado de cada grupo (controle negativo) e um implante contaminado sem pilar (controle positivo). Os espécimes foram imersos em caldo BHI e mantidos numa incubadora a 37 °C durante 14 dias, para monitorar o desenvolvimento de contaminação bacteriana. Os resultados revelaram que 36,4% (n=4) dos componentes indexados e 90,9% (n=10) dos componentes não indexados obtiveram infiltração bacteriana, com diferença significativa entre os grupos (p=0,0237). Como conclusão, os dois componentes cônicos não conseguiram proporcionar uma vedação adequada contra infiltração bacteriana, embora os componentes do tipo indexados mostrassem uma vedação superior, quando comparados com componentes não indexados.

VER ARTIGO COMPLETO